Clássico das emoções que pode definir o destino das equipes

A situação se inverteu. Bastou o Santa Cruz vencer o clássico passado contra o Náutico para a tensão mudar de endereço. O 2 a 1 aplicado pelos corais, na última quarta-feira, foi suficiente para salvar o emprego de Ricardinho. Para transformar o vilão Betinho em herói. Para, sobretudo, tirar o Tricolor da crise. Agora, porém, é o Timbu que está pressionado. Pela primeira vez no ano, Moacir Júnior tem o trabalho contestado e sua situação pode ficar insustentável no caso de um novo revés. Às 16h deste domingo, os times voltam a se enfrentar na Arena Pernambuco. Ao Tricolor, agora mandante, resta consolidar um soerguimento no estadual. Ao Timbu, voltar ao G4 é o mínimo que pode ser feito para poder minar o mau ambiente instaurado no clube.

Os três dias de trabalhos no Arruda depois da vitória sobre o Timbu foram bem diferentes daqueles que marcaram o pior início da história do Santa Cruz em estaduais. Os jogadores garantem que o moral do grupo aumentou. Existe agora a confiança para fazer uma determinada jogada sem mais tanta pressão dos torcedores. Portanto, os corais prometem um time mais solto e leve no clássico de hoje.

O técnico Ricardinho compartilha do pensamento. Mas, ao mesmo tempo, sabe que a pressão pode voltar. Não quer dar chance a ela. Por isso, já esquece o que se passou na Arena Pernambuco e foca só na vitória para conseguir deslanchar a equipe no estadual. “No futebol, não existe conforto. Temos que ter essa sensibilidade. Não pensem que a última vitória vai deslumbrar o nosso grupo ou nosso trabalho. Estamos tranquilos e equilibrados. Com os pés no chão. Quem trabalha no conforto acaba tendo prejuízo”, falou o comandante tricolor.

No lado do Timbu, a impressão é de que a crise - adormecida desde o início da temporada - pode voltar a assombrar o clube a qualquer momento. O clima de instabilidade resultante do tropeço veio junto com a desconfiança sobre o trabalho de Moacir e a diretoria já utiliza o discurso de que “futebol é resultado”. Por isso, a vitória é tratada como uma obrigação entre os alvirrubros. O baixo nível de tolerância quanto ao trabalho do treinador é uma prova de da fragilidade do ambiente do Náutico. Afinal de contas, não custa lembrar que o técnico ainda não pode contar com alguns dos principais nomes do elenco.

TV CORAL

CAMPEONATO BRASILEIRO - CEARÁ 1 x 3 SANTA CRUZ



------------------------------------------------------------------------------------

ENQUANTO ISSO, NO FACEBOOK